sábado, 15 de janeiro de 2011

Somos aprendizes

Perdoa agora, hoje e amanhã, incondicionalmente.
Recorda que todos as criaturas trazem consigo as imperfeições e fraquezas que lhes são peculiares, tanto quanto, ainda desajustados, trazemos as nossas também.
Emmanuel

Os espíritos desencarnados apresentaram a Allan Kardec precioso material de reflexão a cerca da questão do amor ao próximo. Através dos ensinamentos contidos em O Livro dos Espíritos e em O Evangelho Segundo o Espiritismo temos uma das máximas dos Judeus trabalhada exaustivamente, já que esta foi a principal proposta do Cristo para melhor compreendermos a lei de Deus.

“Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo” resume toda a lei de Deus e constitui-se no maior desafio de execução individual e coletivo para a humanidade terrestre no atual estágio de sua evolução.

Já conseguimos assimilar alguns desdobramentos deste ensinamento de forma mais ou menos clara e nos empenhamos em colocar em prática. Procuramos amar nossos pais, nossos filhos e amigos como se fossem a coisa mais importante que existe ao nosso redor. Temos nos esforçado para amarmos a nós mesmos de forma cada vez mais profunda e espiritualizada, mas ainda temos muitas dificuldades em outros desdobramentos da já citada máxima judaica, tais como o amor aos inimigos e o perdão das ofensas.

Acredito que amar aos inimigos e perdoar as ofensas sofridas seja realmente um dos grandes desafios a serem vencidos por nós e contamos com a história humana para nos ajudar a perceber isso. Em toda a história antiga e moderna somos capazes de identificar os mais variados conflitos, que seguem desde contendas simples a guerras de proporção continental, muitos deles movidos pela intolerância, ganância e dificuldade de perdoar.

Diante desta constatação, a de que nos sentimos realmente ofendidos, prejudicados em nossos direitos e, consequentemente, no direito de estabelecermos ações e pensamentos que conflitem com a proposta de amor, cabe-nos buscarmos alguma forma de compreender e transformar nossas posturas para sermos capazes de vivenciar o reino dos céus, ou seja, um estado de plenitude espiritual inabalável onde quer que estejamos.

Emmanuel traz uma lembrança muito importante para os momentos em que nos sentimos ofendidos de alguma forma. Ele nos recorda o fato de estarmos todos reunidos neste planeta com uma característica em comum, o fato de não termos o total entendimento a cerca das leis de Deus e, consequentemente, de estarmos sujeitos a cometermos erros em nossas ações.

Isto significa dizer todos nós erraremos em algum momento de nossas vidas e que estes erros poderão ofender àqueles que estão à nossa volta.

A ofensa deixa de tratar-se simplesmente de um desejo deliberado de prejudicar e passa a ser compreendida como uma conseqüência natural na vida daqueles que tentam acertar.

Será que reagirmos aos erros realizados por outros de forma agressiva os ajudará a acertar da próxima vez?

Como será que nos sentimos sempre que erramos e sofremos retaliações severas daqueles que são nossas vítimas? Será que nos sentiremos revoltados, irados, amedrontados ou estimulados a continuarmos tentando?

Esta citação de Emmanuel me recorda a necessidade de olhar para mim mesmo e para aqueles que comigo convivem com o olhar que vê aprendizes por todas as partes. Sinto que tenho a necessidade de olhar para a vida de forma mais generosa.

O perdão acaba surgindo como uma conseqüência natural desta transformação do olhar, mas espero mesmo é que, com o tempo, consiga não me ofender mais e, desta forma, não precisar mais exercita o perdão

Licença Creative Commons
Somos aprendizes de C. Guilherme Fraenkel é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Compartilhamento pela mesma licença 3.0 Unported.
Permissões além do escopo desta licença podem estar disponíveis em http://www.guilherme.fraenkel.nom.br/?page_id=10.


Este artigo faz parte de um conjunto de reflexões diárias que iniciou-se em 05/01/2011 a partir de um presente que ganhei em 2010, uma caixinha cheia de citações (veja o artigo "O importante não é a etiqueta" para mais detalhes)

Você poderá acompanhar todas as citações e reflexões publicadas no WebEspiritismo usando o Marcador “Reflexão diária”. A lista de Marcadores usados está disponível na coluna lateral do blog sob o título “Marcadores”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escreva aqui o seu comentário