segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Marcas na vida

Seus dias são marcas no caminho evolutivo. Não se esqueça de que compactas assembleias de companheiros encarnados e desencarnados conhecem-lhe a personalidade e seguem-lhe a trajetória pelos sinais que você está fazendo.
André Luiz

Allan Kardec em O Livro dos Espíritos apresenta-nos preciosa compilação de informações a cerca do mundo espiritual que foram colhidas através do contato direto com os próprios espíritos desencarnados através da prática mediúnica exercida por médiuns confiáveis utilizando-se de metodologia própria com vistas a garantir a universalidade dos ensinamentos colhidos.

Através do estudo destas informações aprendemos que a vida, como a percebemos na Terra, trata-se apenas de mais uma etapa de uma enorme jornada de desenvolvimento espiritual que levará o espírito a um estado de consciência de si mesmo e de despertamento para o seu papel na obra de Deus.

Aprendemos também que todas estas etapas vivenciadas por nós, chamadas pelos espíritos de encarnações, estão interligadas pelas relações de causa e efeito, através das quais nos responsabilizamos pelos nossos próprios atos e aprendemos a forma mais adequada de portarmo-nos ante a criação, ou seja, aprendemos a amarmo-nos uns aos outros como a nós mesmos e a Deus sobre todas as coisas.

Desta forma, marcamos o ambiente à nossa volta de acordo com as nossas ações, pensamentos e sentimentos oferecendo precioso material para que aqueles que estão convivendo conosco possam também realizar seus próprios aprendizados.

Nesta enorme teia de relações estabelecemos vínculos e parcerias de aprendizado e vamos influenciando-nos uns aos outros, conforme proposto pela Lei de Sociedade na terceira parte de O Livro dos Espíritos. Direcionamos nossas ações e estabelecemos juízo a cerca dos mais variados pontos de acordo com os sinais que recebemos da sociedade enquanto oferecemos sinais para que nossos companheiros de jornada, encarnados e desencarnados, possam também direcionar suas próprias ações e estabelecerem seus próprios juízos.

Somos diretamente responsáveis pela criação da malha social em que nos encontramos e, se não estamos satisfeitos com os resultados apresentados até o momento, cabe a cada um de nós o trabalho constante e árduo para a construção de novos padrões comportamentais através de nossas próprias ações no mundo.

Acredito que devamos ter grande atenção com relação ao exemplo que damos aos nossos companheiros de vida.

O mestre Jesus já nos ofereceu um método para identificarmos a forma correta de proceder em relação ao outro, basta que façamos a ele aquilo que desejamos que nos façam.

Que possamos oferecer o melhor que temos em nós, a nossa melhor parte, oferecendo a outra face sempre que formos desafiados com atitudes que nos desagradem. Pouco a pouco estabelecer-se-á uma sociedade planetária mais compreensiva, amorosa e feliz pelas marcas que deixamos na vida.

Licença Creative Commons
Marcas na vida de C. Guilherme Fraenkel é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Compartilhamento pela mesma licença 3.0 Unported.
Permissões além do escopo desta licença podem estar disponíveis em http://www.guilherme.fraenkel.nom.br/?page_id=10.


Este artigo faz parte de um conjunto de reflexões diárias que iniciou-se em 05/01/2011 a partir de um presente que ganhei em 2010, uma caixinha cheia de citações (veja o artigo "O importante não é a etiqueta" para mais detalhes)

Você poderá acompanhar todas as citações e reflexões publicadas no WebEspiritismo usando o Marcador “Reflexão diária”. A lista de Marcadores usados está disponível na coluna lateral do blog sob o título “Marcadores”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escreva aqui o seu comentário