quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Pai

Pai,

Muitas vezes volto-me para um mundo só meu e perco-me em meus pensamentos e impressões.

Revolto-me por não conseguir respostas para problemas que penso ter.

Olho à minha volta e sinto-me desprotegido e solitário.

Fico triste por não conseguir realizar meus sonhos e por não ser tão livre quanto desejo.

Aborreço-me por não ser tratado com a deferência e respeito que julgo merecer...

Todas as vezes tu me escutas pacientemente e reconduzes meu olhar, meus pensamentos, sentimentos e emoções ajudando-me a alargar a visão para perceber a plenitude que se agiganta à minha volta.

Logo alegro-me por identificar tantas oportunidades benfazejas que se apresentam para a construção de minha felicidade.

Sinto a abraço amigo das pessoas que me cercam e estimulam a continuar lutando. Pessoas que me afagam, que secam minhas lágrimas sem que eu me dê conta.

Encho-me de esperança para continuar a aspirar por dias melhores. Entendo que liberdade é ser senhor de meu destino e poder escrevê-lo com as cores que desejar, coisas que faço a cada segundo de minha vida.

Sinto que recebo o tratamento de que necessito para amadurecer e tornar-me mais responsável por mim e por aqueles que estão à minha volta...

De vez em quando lembro-me de agradecer por tanto carinho e atenção, mas hoje é um desses dias especiais e só queria te dizer.

Obrigado por me amar e por respeitar quem eu sou.

Obrigado por não desistir de mim com a mesma facilidade que desisto.

Prece por todos nós

Tomei conhecimento desta prece por intermédio de uma amiga e fiquei realmente encantado com a percepção de seu autor, o pastor Joe Wright.

A prece, um verdadeiro convite à reflexão, foi feita na abertura de uma das sessões do senado do Kansas em fevereiro de 1996 e circula pela internet até hoje

Deus nos ajude a compreender essa verdade…

Interessante oração feita em Kansas na sessão de abertura do Senado. Parece que a oração ainda chateia algumas pessoas. Quando pediram para o Rev.Joe Wright abrir a nova sessão do Senado de Kansas, todos estavam esperando o tradicional discurso, mas isso foi o que eles ouviram:

Pai celeste, nós estamos diante de Ti hoje para pedir Teu perdão e para buscar Tua direção e liderança.

Nós sabemos que Tua palavra diz:

Cuidado com aqueles que chamam o mal de bem, mas isto é exatamente o que temos feito.

Nós perdemos nosso equilíbrio espiritual e revertemos nossos valores.

Nós exploramos os pobres e chamamos isso de loteria.

Nós recompensamos preguiça e chamamos isso de bem-estar.

Nós cometemos aborto e chamamos isso de escolha.

Nós matamos os que são a favor do aborto e chamamos de justificável.

Nós negligenciamos a disciplina de nossos filhos e chamamos isso de construção de auto-estima.

Nós abusamos do poder e chamamos isso de política.

Nós invejamos as coisas dos outros e chamamos isso de ambição.

Nós poluímos o ar com coisas profanas e pornografia e chamamos isso de liberdade de expressão.

Nós ridicularizamos os valores dos nossos antepassados echamamos isso de iluminismo.

Sonda-nos, Oh! Deus, e conhece os nossos corações hoje; limpa-nos de todo pecado e nos liberta.”

Amém!

Expressão de Deus através de sua obra

Recebi de uma amiga e gostaria de dividir com todos este pensamento de Paramahansa Yogananda. É uma bela forma de falar de nossa destinação futura.

"Eu me descontraio e ponho de lado tudo o que me sobrecarrega mentalmente, deixando que Deus expresse, por meu intermédio, Seu perfeito amor, Sua perfeita paz e Sua perfeita sabedoria. " Paramahansa Yogananda, Afirmações Científicas de Cura, Self-Realization Fellowship

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Balada de amor através das idades

Eu te gosto, você me gosta
desde tempos imemoriais.
Eu era grego, você troiana,
troiana mas não Helena,
Saí do cavalo de pau
para matar seu irmão.
Matei, brigamos, morremos.

Virei soldado romano,
perseguidor de cristãos.
Na porta da catacumba
encontrei-te novamente.
Mas quando vi você nua
caída na areia do circo
e o leão que vinha vindo,
dei um pulo desesperado
e o leão comeu nós dois.

Depois fui pirata mouro,
flagelo da Tripolitânia.
Toquei fogo na fragata
onde você se escondia
da fúria do meu bergantim.
Mas quando ia te pegar
e te fazer minha escrava
você fez o sinal da cruz
e rasgou o peito a punhal...
Me suicidei também.

Depois (tempos mais amenos)
fui cortesão de Versailles,
espirituoso e devasso.
Você cismou de ser freira...
Pulei muro de convento
mas complicações políticas
nos levaram à guilhotina.

Hoje sou moço moderno
remo, pulo, danço, boxo,
tenho dinheiro no banco.
Você é uma loira notável,
boxa, dança, pula, rema.
Seu pai é que não faz gosto.
Mas depois de mil peripécias,
eu, herói da Paramount,
te abraço, beijo e casamos.

Carlos Drummond de Andrade

Cobrança Indevida

Desconheço a autoria deste texto, mas acho que devo dividir com todos. É uma Excelente reflexão para a forma como encaramos a vida e aqueles que nos prejudicam de alguma forma

Cobrança Indevida

Depois de um dia de caminhada pela mata, mestre e discípulo retornavam ao casebre, seguindo por longa estrada.

Ao passarem próximo a uma moita de samambaia, ouviram um gemido.

Verificaram e descobriram um homem caído. Estava pálido e com uma grande mancha de sangue, próxima ao coração.

Tinha sido ferido e já estava próximo da inconsciência.

Com muita dificuldade, mestre e discípulo o carregaram para o casebre rústico, onde viviam. Lá trataram do ferimento.

Uma semana depois, já restabelecido, o homem contou que havia sido assaltado e que ao reagir fora ferido por uma faca.

Disse também que conhecia seu agressor, e que não descansaria enquanto não se vingasse.

Disposto a partir, o homem disse ao sábio: "Senhor, muito lhe agradeço por ter salvado a minha vida. Tenho que partir e levo comigo a gratidão por sua bondade. Vou ao encontro daquele que me atacou e vou fazer com que ele sinta a mesma dor que senti."

O mestre olhou fixo para o homem e disse: "Vá e faça o que deseja.

Entretanto, devo informá-lo de que você me deve três mil moedas de ouro, como pagamento pelo tratamento que lhe fiz."

O homem ficou assustado e disse: "Senhor, é muito dinheiro. Sou um trabalhador e não tenho como lhe pagar esse valor!"

Com serenidade, tornou a falar o sábio: "Se não pode pagar pelo bem que recebeu, com que direito quer cobrar o mal que lhe fizeram?"

O homem ficou confuso e o mestre concluiu: "Antes de cobrar alguma coisa, procure saber quanto você deve. Não faça cobrança pelas coisas ruins que aconteçam em sua vida, pois a vida pode lhe cobrar tudo de bom que lhe ofereceu."

Todos os dias somos aquinhoados com centenas de bênçãos. A primeira, é a própria oportunidade de tornar a abrir os olhos no corpo físico.

Depois, a oportunidade de encher os pulmões de ar. Ar que nos é dado pela Divindade.

A bênção do alimento que nos nutre o corpo. Alimento que extraímos da terra generosa, bastando que nela plantemos a semente.

A bênção do trabalho que nos permite o desenvolvimento das nossas habilidades, o progresso, a aquisição de bens materiais que nos são necessários.

Enfim, o digno sustento próprio e dos que nos constituem responsabilidade.

A bênção da religião, que nos fortalece o espírito, dando-nos o conhecimento da existência de um Deus Pai, que dirige os nossos destinos e guarda a nossa vida.

A bênção da família, dos amigos, dos colegas, dos animais de estimação.

Cada qual, a seu modo, nos oferta, a cada dia, seu carinho, sua devoção, enriquecendo as nossas horas.Pense, enfim, nas bênçãos que todos os dias você recebe, sem esforço algum.

Você não precisa acender o sol, nem pedir a ele que apareça. Ele simplesmente vem e lhe dá calor, luz, vida.

Você não necessita acionar botão algum para que o vento amigo se manifeste nos dias de ardência.Ele simplesmente vem. Balança o arvoredo, espanca nuvens borrascosas, limpa o céu e ainda brinca de desarrumar os seus cabelos.

Você não precisa suplicar ao botão para desabrochar. Ele arrebenta em perfume e colorido para o seu deleite.

Você não precisa suplicar aos pássaros que encham de sons o dia. Eles aparecem e brindam seus ouvidos com a variedade infinita de seus trinados e cantorias.

Por tudo isso, pense, que direito você tem de tomar contas a quem quer que seja, por algo ruim que lhe tenha feito, ante um débito tão grande para com a divindade que tudo vê, provê, sem exigência alguma.

Pense nisso!