quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

O importante não é a etiqueta

Ganhei um presente no ano passado que vinha usando para reflexões pessoais mas percebi que poderia render bons frutos para outras pessoas também. Trata-se de uma pequena caixa com frases de diversos autores espíritas

Decidi realizar minhas reflexões em voz alta! :)

A partir de hoje continuarei a retirar uma frase e a refletir sobre ela, mas, como exercício em 2011, passo a publicá-la no blog. Para facilitar a identificação das reflexões diárias, usarei o Marcador “Reflexão diária” para identificar o artigo.

O importante não é a "etiqueta" que usamos, mas é o que faço "da" vida, "com" a vida e "pela" vida.
Lourdes Catherine

Quando começamos a estudar a doutrina espírita logo percebemos que se trata de um pensamento filosófico com bases comprováveis através da ciência e que nos remete a um sentido de religiosidade profundo em que a responsabilidade aparece como ator central na vida com vistas à construção de um futuro promissor para nós enquanto espíritos imortais.

Os espíritos nos ensinam em o Evangelho Segundo o Espiritismo, codificado por Allan Kardec a partir de mensagens ditadas por espíritos e recebidas através de médiuns idôneos, que podemos classificar um evento como uma desgraça apenas a partir das consequências que traga para a vida da pessoa.

Podemos ser atores principais em uma situação que poderia ser classificada como um revés e que, ao desdobrar-se, apresenta-se como uma oportunidade de crescimento espiritual real e fruto de muitas felicidades em um futuro próximo.

Em outras situações podemos experimentar situações que, aparentemente são bons acontecimentos, mas que acabam servindo de móveis para que tomemos decisões equivocadas e nos compliquemos espiritualmente perante as leis de Deus.

A partir da frase de Lourdes Catherine comecei a pensar sobre o assunto e tirei uma conclusão interessante.

Já que:

  • Só identificamos uma desgraça se nossas ações a partir do evento acontecido nos levarem a posições de sofrimento, independentemente de o evento ter causado um grande dano material ou ter trazido uma grande felicidade.
  • Temos o livre arbítrio, a liberdade de escolha, que abre para cada espírito a oportunidade de crescer e descobrir-se através da responsabilidade por seus próprios atos.
  • Somos espíritos imortais criados por Deus, potência de infinita bondade e Justiça, plenitude do amor; e contamos com as diversas oportunidades encarnatórias, neste ou em outros mundos para nos tornarmos espíritos perfeitos, cumpridores das obrigações morais que nos competem e plenamente felizes.

Podemos aproveitar muito cada acontecimento, aparentemente bom ou ruim, para construir uma vida plena, cada vez mais consciente da existência de Deus, ou seja, uma vida feliz, uma vez que o que conta é a forma como nos portamos e não o gatilho que nos força a agir.

Devemos nos esforçar, portanto, para aproveitar cada acontecimento em nossas vidas para nos mantermos em movimento de aprendizado e desenvolvimento espiritual constante.

Licença Creative Commons
O importante não é a etiqueta de C. Guilherme Fraenkel é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Compartilhamento pela mesma licença 3.0 Unported.
Permissões além do escopo desta licença podem estar disponíveis em http://www.guilherme.fraenkel.nom.br/?page_id=10.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escreva aqui o seu comentário