quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Oceano de amor

Estás mergulhado no oceano do amor de Deus. Jamais te encontrarás sozinho. Deus está em ti e em torno de ti. Descobre-o e deixa-te conduzir por ele, com sabedoria.
Joanna de Ângelis

Por vezes nossa ignorância a cerca da realidade divina leva-nos a cenários de incerteza, de insegurança e de medo. Sentimo-nos sozinhos, abandonados, desprovidos de apoio e não paramos para refletir que, se somos filhos de uma entidade suprema que representa o que há de mais belo, puro e sublime que a tudo e todos criou, não podemos estar sozinhos por conta própria, ao sabor do acaso, vítimas das circunstâncias da vida.

Ainda somos espíritos míopes, temos muita dificuldade de compreender de forma ampla o contexto espiritual em que estamos inseridos e, como não desenvolvemos ainda a confiança em Deus, talvez por compreender ainda os aspectos espirituais da vida, nos sentimos inseguros e tememos.

Joanna de Ângelis nos recorda que a força da criação é a força amorosa, que a tudo envolve, ampara e convida ao crescimento. Esta potência que, conforme o Evangelho Segundo o Espiritismo de Allan Kardec, é a potência máxima no universo e a chave para a construção de sociedades livres de dor e do sofrimento.

Amor é atitude, é sentimento de querer bem, é ação e Deus, como seu maior representante, não nos deixaria à mingua em momento algum de nossa vidas, principalmente nos momentos que julgamos mais difíceis.

Seguir pelas estradas da vida considerando que existe um plano muito maior do que percebemos para cada um de nós e que este plano é para nos tornar individualidades felizes e perfeitamente integradas ao ambiente em que vivemos é, por si só, uma forma sábia de seguir pela vida.

Quando, entretanto, reconhecemos que o criador desta jornada é uma potência amorosa e que deseja que sejamos felizes, damos colorido especial à nossa jornada que passa a ser encantada e repleta de momentos de plenitude e felicidade. Não mais nos sentimos abandonados ou inseguros; o sofrimento reduz-se, mesmo na presença das dores naturais provocadas pelo fenômeno da transformação a que estamos sujeitos.

Procuremos, portanto, sentir a potência divina que manifesta-se em nós e em toda a criação. Confiemos e sigamos buscando fazer o melhor.

Licença Creative Commons
Oceano de Amor de C. Guilherme Fraenkel é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Compartilhamento pela mesma licença 3.0 Unported.
Permissões além do escopo desta licença podem estar disponíveis em http://www.guilherme.fraenkel.nom.br/?page_id=10.


Este artigo faz parte de um conjunto de reflexões diárias que iniciou-se em 05/01/2011 a partir de um presente que ganhei em 2010, uma caixinha cheia de citações (veja o artigo "O importante não é a etiqueta" para mais detalhes)

Você poderá acompanhar todas as citações e reflexões publicadas no WebEspiritismo usando o Marcador “Reflexão diária”. A lista de Marcadores usados está disponível na coluna lateral do blog sob o título “Marcadores”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escreva aqui o seu comentário