segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Recebendo críticas do inimigo

Não negligencieis a opinião dos vossos inimigos, porque eles não têm nenhum interesse em disfarçar a verdade e, geralmente, Deus os colocou ao vosso lado como um espelho, para vos advertirem com mais franqueza do que faria um amigo.
Irmão José

Segundo os ensinamentos da doutrina espírita contidos em O Livro dos Espíritos de Allan Kardec, aprendi que tudo o que nos cerca é parte integrante de um grande organismo que se encontra em transformação constante em busca de um estado de plenitude.

Cada individualidade que compõe este organismo único é dotada de potencial de autorrealização que se concretiza à medida que desenvolve a capacidade de perceber-se como criatura de Deus e está destinada a executar papel importante na constituição do todo, tudo está conectado e tem um propósito de ser.

Por esta linha de raciocínio imagino que não exista nada na criação que não tenha um propósito útil e, sendo assim, podemos nos perguntar:

E o que nos acontece de ruim nesta vida? E as ações de nossos inimigos? E as dores? Também cumprem um papel positivo em nossas vidas?

Acredito que sim, penso nestas situações que nos desagradam como um remédio ruim que tem efeitos colaterais mas que deve ser usado para nos trazer um estado de maior saúde. Ninguém quer precisar de medicamentos, mas já que estamos precisando, cumpramos as determinações médicas para estabelecermos logo um estado de saúde e podermos parar de usar o medicamento e nos movimentemos para desenvolver novos e novos medicamentos que sejam mais toleráveis.

As dores e as dificuldades surgem em nossas vidas como veículo para desenvolvermos determinados aspectos espirituais que carecem atenção, sendo assim, embora indesejáveis, as dores e dificuldades tornam-se úteis como propulsores do crescimento espiritual, assim como os momentos de felicidade e plenitude que vivenciamos.

Quando o Irmão José nos faz o convite para vermos as críticas de nossos inimigos em relação às nossas ações e sentimentos como apontadores sinceros para nossos erros, talvez tenha razão. Quem melhor para identificar e comunicar nossos erros do que aqueles que se opõe às nossas idéias?

Não desejo ter inimigos, mas já que os tenho, trabalharei para desenvolver este olhar atento com relação às críticas que eles tecem sobre mim. Podemos ter diferentes opiniões sobre vários assuntos, mas quem disse que eu estou sempre certo e eles sempre errados? Talvez possa perceber aspectos da minha forma de pensar, sentir e agir que possam ser transformados para melhor a partir das críticas que recebo de meus inimigos.

Licença Creative Commons
Recebendo críticas do inimigo de C. Guilherme Fraenkel é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Compartilhamento pela mesma licença 3.0 Unported.
Permissões além do escopo desta licença podem estar disponíveis em http://www.guilherme.fraenkel.nom.br/?page_id=10.


Este artigo faz parte de um conjunto de reflexões diárias que iniciou-se em 05/01/2011 a partir de um presente que ganhei em 2010, uma caixinha cheia de citações (veja o artigo "O importante não é a etiqueta" para mais detalhes)

Você poderá acompanhar todas as citações e reflexões publicadas no WebEspiritismo usando o Marcador “Reflexão diária”. A lista de Marcadores usados está disponível na coluna lateral do blog sob o título “Marcadores”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escreva aqui o seu comentário