domingo, 9 de janeiro de 2011

Agir com moralidade na vida

A mais importante busca humana é esforçar-se pela moralidade em nossa ação. Nosso equilíbrio interno, inclusive da existência, depende disso. Somente a moralidade em nossas ações pode dar beleza e dignidade à vida. Fazer disso uma força viva é trazê-la para a consciência é talvez a tarefa principal da educação.
Albert Einstein

Acredito que a felicidade autêntica surge em nossas vidas quando conseguimos atingir um estado de equilíbrio entre as nossas aspirações e as nossas ações, ou seja, quando cumprimos o papel a que estamos destinados.

Segundo a doutrina espírita, nós espíritos imortais fomos criados simples e ignorantes por uma entidade infinitamente boa e justa e estamos destinados a um caminhar repleto de descobertas e construções conscientes rumo à integração absoluta com a obra da criação.

Agir com moralidade, como percebo, trata-se então de agir de forma voluntária e consciente para cumprir o nosso papel na natureza. É vivermos de acordo com a percepção de que cada momento da vida é um chamado para novas experiências coletivas com vistas à auto-realização individual e coletiva, é estarmos perfeitamente integrados com o fluxo dinâmico da vida.

Conscientizarmo-nos desta realidade e agirmos de forma ampla como espíritos imortais talvez seja o grande desafio para a humanidade.

Com este olhar, talvez devamos ser um pouco mais críticos quanto aos resultados esperados das ações de educação que estão sendo implementadas em nossa sociedade. Será que vemos a educação como uma forma de promoção desta visão da vida que precisa ser construída com urgência ou será que estamos vendo a educação simplesmente como um conjunto de treinamentos que nos especializam à realização de algo?

Albert Einstein fala de um tipo de educação que, pelo que percebo, está ficando esquecido nas entrelinhas dos grandes pensadores. Educação moral, pensamento ético, estímulo ao sentimento de religiosidade estão tornando-se “ações caretas” para muitos.

Nossas instituições falam muito em capacitar pessoas para a vida, ou seja para o mercado de trabalho, mas falam pouco em perceber a vida, as pessoas à volta e a beleza da criação. Cada vez mais somos treinados a olharmos para nós mesmos e para nossos desejos e necessidades, mas estamos perdendo a visão coletiva da vida.

Talvez seja hora de repensarmos o que entendemos por educação.

Licença Creative Commons
Agir com moralidade na vida de C. Guilherme Fraenkel é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Compartilhamento pela mesma licença 3.0 Unported.
Permissões além do escopo desta licença podem estar disponíveis em http://www.guilherme.fraenkel.nom.br/?page_id=10.


Este artigo faz parte de um conjunto de reflexões diárias que iniciou-se em 05/01/2011 a partir de um presente que ganhei em 2010, uma caixinha cheia de citações (veja o artigo "O importante não é a etiqueta" para mais detalhes)

Você poderá acompanhar todas as citações e reflexões publicadas no WebEspiritismo usando o Marcador “Reflexão diária”. A lista de Marcadores usados está disponível na coluna lateral do blog sob o título “Marcadores”

Um comentário:

  1. Guilherme, meu amigo.
    Bela reflexão.
    Gostaria de acrescentar:
    "Só combateremos o mal pela educação, não por essa educação
    que tende a fazer Homens instruídos, mas pela que tende a
    fazer Homens de bem" (CHICO XAVIER)

    ResponderExcluir

Escreva aqui o seu comentário