terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Caminhando junto

Ter compaixão é lembrar que a dor do outro poderia ser a sua. É reconhecer o sofrimento do próximo e ajuda-lo a superar o momento difícil. A compaixão está intimamente ligada à ação.
Hammed

Muitas vezes nos vemos aflitos por grandes problemas e não conseguimos mobilizar nossas energias para superar a situação. Tornamo-nos cegos diante do universo de bênçãos que está à nossa disposição e ficamos aprisionados em um determinado modelo mental sem achar uma solução adequada.

Acredito que seja nestas horas que mais precisamos do apoio daqueles que compreendem o momento por que estamos passando e que, movidos por um ato de compaixão, estendem o braço amigo para nos ajudar.

Nesta relação de apoiador e apoiado, movida por sentimento sincero de bem querer e que dá as bases para a realização de variadas ações que levam ao contorno da dificuldade ou à aceitação do que não pode ser remediado de uma forma mais resignada e amena, identificamos um grande espaço de crescimento para todas os personagens envolvidos.

Beneficia-se não apenas aquele que é ajudado, mas também aquele que ajuda, uma vez que recolhe precioso material de reflexão, aprende a ver a vida com o olhar do outro, exercita a paciência, a fé, o desejo de ajudar e a mente na busca por oferecer o melhor para o ajudado.

Ao entrar em contato com a situação de dor e sofrimento, todos os envolvidos, mesmo os que desejam apenas ajudar, recolhem precioso material de aprendizado que lhes capacitará a ver a vida de uma forma mais ampla.

Para aquele que é alvo da ajuda, além do valioso apoio, que pode chegar de várias formas, recebe também a mensagem de que nesta vida ninguém caminha solitário rumo à construção da felicidade. É momento para aprender sobre a lei de sociedade e de solidariedade, para apreender que a vida é organizada de forma a integrar toda a criação em uma grande convivência solidária.

Amor colocado em prática, amor em movimento, caridade, compaixão, palavras que apontam para um mesmo conjunto de valores que se constroem a partir dos princípios de solidariedade propostos pelo entendimento espírita a cerca das leis divinas e que constituem a operacionalização do “amar ao próximo como a si mesmo”, proposto nas doutrinas judaica, cristã e espírita.

Licença Creative Commons
Caminhando junto de C. Guilherme Fraenkel é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Compartilhamento pela mesma licença 3.0 Brasil.
Permissões além do escopo desta licença podem estar disponíveis em http://www.guilherme.fraenkel.nom.br/?page_id=10.


Este artigo faz parte de um conjunto de reflexões diárias que iniciou-se em 05/01/2011 a partir de um presente que ganhei em 2010, uma caixinha cheia de citações (veja o artigo "O importante não é a etiqueta" para mais detalhes)

Você poderá acompanhar todas as citações e reflexões publicadas no WebEspiritismo usando o Marcador “Reflexão diária”. A lista de Marcadores usados está disponível na coluna lateral do blog sob o título “Marcadores”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escreva aqui o seu comentário