terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Futuro feliz

Vigie o sofrer voluntário, aquele que surge de sua imprudência e desleixo, a fim de que saiba aferir quais são as "dores de Deus" pelo seu progresso e quais são as carências novas que você apresenta ante os descuidos com o dever - Ermance Dufaux


O Evangelho Segundo o espiritismo nos ensina que a maior parte de nossas dificuldades na encarnação são fruto de nossas escolhas e ações na própria encarnação e Ermance parece ressaltar este mesmo olhar na citação.

É verdade que estas ações foram tomadas a partir do cabedal de conquistas das encarnações anteriores, mas o que nos importa nesta leitura é que nossas dificuldades podem ser grandemente reduzidas se tivermos mais atenção quanto ao futuro quando mergulhamos na encarnação.

Ao longo dos séculos a sociedade planetária foi capaz de desenvolver valioso discernimento que nos ajuda nos momentos de tomada de decisão. Entretanto, muitas vezes usamos esta capacidade para decidir sobre as melhores formas para satisfazer nossas paixões através do gozo no mundo material sem estarmos atentos à dimensão espiritual que sugere vivamos a matéria mas com o olhar espiritual de longo prazo.

Pensar na vida com o olhar espiritual buscando conciliar as demandas materiais e as aspirações pela felicidade imortal é frequentemente o maior desafio da vida. Estar no mundo sem ser do mundo é o dilema que muitas vezes nos leva a mergulhos sofridos pelas escolhas menos eficientes do ponto de vista da imortalidade.

Há ainda uma outra dimensão sobre a qual podemos refletir a partir do pensamento de Ermance. Muitas vezes agimos com a visão tão imediata da vida que não avaliamos as consequências de nossos atos para os próximos anos da própria encarnação. Regular nossas decisões, sentimentos e ações com vistas a uma encarnação plena parece-me também um dilema a ser vivido de forma cada vez mais intensa.

A expectativa de vida na modernidade tem sido aumentada pelas conquistas no campo das ciências e nossas encarnações podem ser consideravelmente mais longas, mas precisam de decisões refletidas sobre esta ótica para que possam ser bem aproveitadas.

Vivamos o hoje plenamente, mas estejamos atentos aos desdobramentos de nossas decisões nas próximas décadas. Este me parece ser ó sábio convite de Ermance, viver no presente de forma mais conscientemente a cerca do futuro para gerar maior consistência e consciência espiritual.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escreva aqui o seu comentário