terça-feira, 25 de agosto de 2015

Ao Céu



Ao céu
(25/08/2015)

Manancial inesgotável para o sonhador;
Regaço acolhedor do ser voador.
Alguém que não se intimida com as coisas do além.

No manto azul acinzentado,
muitas vezes de branco tisnado,
aprendi a projetar o futuro esperado.
Fonte inesgotável de coisas do bem;
convida sempre a viver para além.

Tendo vivido sempre sob a sua proteção,
jamais me senti preso ao chão!
Vendo no horizonte distanciado sublime ligação,
astrais possibilidades revolvem o sagrado coração,
Sigo radiante minha jornada de construção.

Estas brancas tisnas ensinaram-me a ser camaleão;
já o cinza variado que anuncia o inesperado,
convida sempre a estar preparado!
Pelo azul variado semeio o ouro de muito ser amado.
Sou ser por ti conquistado!

Seguindo sempre sob seu referencial
Escolhi ser sideral...
Momento magistral a ser construído em meu caminho marginal.

Tendo o horizonte como fonte consoante;
caminho sempre tentando o levante.
Sigo adiante, certo de que um dia serei voador viajante.

(guilherme fraenkel)

Licença Creative Commons
O trabalho Ao céu de Guilherme Fraenkel está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em http://www.guilherme.fraenkel.nom.br/?page_id=10.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escreva aqui o seu comentário