sábado, 13 de setembro de 2008

O Homem Integral e a Mediunidade com Jesus - Parte I

Fui convidado por uma amiga a realizar uma reflexão livre sobre mediunidade para um grupo de estudos na Casa Espírita Cristã Maria de Nazaré, a casa espírita que freqüênto no Rio de Janeiro, e acabei realizando este estudo que estabelece uma ponte entre a capacidade mediúnica, possibilidade de comunicação entre encarnados e desencarnados, e as estruturas físicas, perispirituais e corpo físico, necessárias para que a comunicação ocorra.

Acredito que esta reflexão pode ser útil para muitas pessoas, podendo ser usada como ponto de partida para várias outras reflexões. Por isso decidi compartilhá-la no blog.

Dividi o artigo em três partes para ficar mais fácil a leitura, na primeira parte trato de explicar de forma simples o conceito de Homem Integral (espírito + corpo de relação)

A segunda parte trata sobre as regras que presidem a formação do corpo de relação, busca explorar o universo ainda pouco conhecido do planejamento encarnatório e as características que podem contribuir no estabelecimento das possibilidades mediúnicas.

A parte final faz a amarração dos dois temas abordados (Homem Integral e Mediunidade) e lança algumas reflexões podem nos ajudar na condução de nossas jornadas evolutivas de forma mais eficaz.

Não pretendo esgotar o assunto, até porque desconheço muitos aspectos do assunto abordado, e não tive a preocupação de explorar intensamente o assunto. Acredito que existem muitos pontos em aberto e conto com a colaboração de todos para melhorar o conteúdo.

O Homem Integral

Em nossa constante luta pela conquista da felicidade, que intuímos existir de forma plena e soberana apesar de não termos claro entendimento de como seja, temos, ao longo dos séculos, defrontado-nos com muitas teorias e experimentado muitas receitas de realização.

Vivemos pulando entre extremos de entendimento, reformulando teorias e buscando indícios concretos que nos ajudem a compreender de fato quem somos e a que viemos.

Durante esta milenar jornada já conseguimos realizar alguns avanços consideráveis e, talvez, o maior deles, seja a suspeita da existência de uma inteligência suprema que conduz a tudo e a todos de forma justa e amorosa para um estado de felicidade que é conseqüência de nossos próprios esforços.

Nosso desconhecimento a cerca de nós mesmos e das leis que regem o universo ainda nos impede de atingirmos um consenso quanto às características deste algo que nos rege, mas o número de pessoas que já admite sua existência já é muito grande e está aumentando a cada dia.

É claro que admitirmos a existência de um criador como colocado anteriormente traz muitas conseqüências para nossas estruturas de pensamento e uma delas é a possibilidade de existência de algo invisível, imponderável e que, na realidade, é a essência do que somos, que existe além de nossas curtas vivências na Terra e que nos precede, firmando uma base sólida para esta jornada de aprendizado.

Natural torna-se então concluir que esta essência imaterial, repositório de nós mesmos é a que, na realidade, conduz a construção de cada uma de nossas vivências, fato que se dá com base em nossas necessidades de aprendizado.

Torna-se importante ponderar a cerca destas estruturas invisíveis, detentoras da vontade de realizar e de todas as dúvidas naturais daquele que não detém todas as informações de um processo que encontra-se em curso. A doutrina espírita nos ajuda bastante nesta reflexão quando traz os conceitos de Espírito, perispírito e corpo físico, mas é absolutamente brilhante quando reapresenta este modelo de forma ainda mais complexa e rica (Xavier, Francisco Cândido ).

O Homem integral, que deve organizar-se enquanto criatura de Deus, criada simples e ignorante e destinada a um estado de felicidade plena construído a partir de seus próprios esforços e com ajuda daqueles que estão mais à frente na jornada, torna-se a chave para a construção de muitas reflexões que nos ajudam a compreender melhor a vida e a aproveitá-la de forma mais eficiente como oportunidade de aprendizado dentro do grande processo pedagógico de auto-construção.

A compreensão mais aprofundada deste modelo de entendimento didático, o Homem Integral, nos ajuda a compreendermos uma série de fenômenos em nossas vidas, entre eles o da mediunidade, que é a possibilidade de comunicação entre vivos e mortos.

A seguir exploramos alguns aspectos do modelo do Homem Integral para em seguida retomarmos as questões da mediunidade

  • Espírito
  • Corpo de relação
    • Peripírito
      • Corpo mental
      • Corpo espiritual
      • Duplo etérico
    • Corpo Físico

Esta divisão é muito conveniente para o entendimento que temos hoje sobre os movimentos de reencarnação, mas é importante observar que não se tratam de camadas distintas que estão justapostas umas às outras para compor o Homem Integral.

Na realidade estas camadas, ou níveis vibratórios, interpenetram-se do mais sutil para o mais denso, influenciando-se mutuamente na composição do Homem Integral.

Os níveis vibratórios mais densos possuem sua formação presidida pelos níveis menos densos, que guardam instruções provenientes do Espírito, espelhando, desta forma, todas as características da individualidade em caminho de auto-aprimoramento através de variadas experiências de percepção do ambiente e interação com ele, em um jogo interminável de estímulos e geração de respostas.

Por sua vez, as alterações ocorridas nos níveis mais densos de vibração causam modificações nas estruturas mais sutis, possibilitando a perpetuação de conquistas e desacertos ocorridos através das vivências.

Uma observação de vital importância é o fato de que o Espírito deseja revestir-se de estruturas fluídicas sutís, mas só consegue fazer isso à medida que aprimora seu patamar moral, operando em faixas vibratórias de frequência cada vez mais elevadas e, conseqüentemente, agregando cada vez menos matéria densa.

Cada uma das estruturas vibratórias, anteriormente listadas, possuem uma função específica e serão controladas de forma mais ou menos consciente de acordo com o grau de adiantamento moral do Espírito.

Corpo físico

Esta é a camada mais densa de todas, constituída com o objetivo de oferecer ao espírito experiências únicas, somente possíveis através do exercício da reencarnação.

O corpo físico é moldado a partir das vibrações características do perispírito, processo que tem início antes da fecundação do óvulo, já a partir da formação e escolha dos gametas que serão empregados na criação do embrião. (Di Bernardi, Ricardo; Gestação - Sublime Intercâmbio; Universitária)

As características do corpo físico buscarão atender às necessidades evolutivas momentâneas do espírito e serão adequadas pelos Espíritos Superiores sempre que a estrutura perispiritual do Espírito reencarnante não atender ao planejamento reencarnatório (Xavier, Francisco Cândido; Evolução em dois Mundos; FEB)

O corpo físico funcionará como corpo de relação para o Espírito encarnado, servindo como ferramenta para interação com o mundo material e demais espíritos encarnados. Servirá também como um abafador de características desnecessárias ao aprendizado específico do planejamento encarnatório, possibilitando assim um “estudo especializado” com o objetivo de melhor apreender aspectos importantes das Leis de Deus.

Duplo Etérico

Camada composta por fluidos sutis, invisíveis aos equipamentos científicos humanos, mas bastante densos para a realidade espiritual. É responsável pela vitalização do corpo físico e será dispensada tão logo o Espírito desencarne.

É constituída a partir dos fluidos do ambiente sob a coordenação eletromagnética do corpo espiritual.

Esta camada é considerada a camada mais densa do perispírito conforme proposto na codificação de Kardec e só existe quando o Espírito está encarnado.

Corpo Espiritual

Está para o Espírito desencarnado assim como o corpo físico está para o espírito encarnado. É seu corpo de relação no mundo invisível, quando desprovido da possibilidade de relações diretas com a matéria densa.

Servindo de ferramenta de interação com os espíritos desencarnados no mundo espiritual, é formado de fluidos sutis e tem sua composição coordenada pela vibração eletromagnética do corpo mental do Espírito.

Carrega em si as marcas do espírito e será dispensado quando ele conseguir elevar-se moralmente para conviver em círculos da espiritualidade superior.

Corpo Mental

A camada mais sutil do perispírito, diretamente relacionada com a centelha divina individualizada, o Espírito.

Tem o papel de reger o processo de formação das estruturas perispirituais mais densas e é um reflexo direto do padrão mental do espírito.

Espírito

O princípio inteligente que individualizou-se após milênios de experiências nos reinos mineral, vegetal e animal, onde estagiou para a construção dos instintos e desenvolvimento do entendimento básico a cerca da criação de Deus (Kardec, Allan; O Livro dos Espíritos; FEB / Xavier, Francisco Cândido; Evolução em dois mundos; FEB).

É criado com a destinação de, através da matéria, tornar-se perfeito em um processo de aprendizado contínuo sobre si mesmo, sobre a criação e sobre Deus. Surge a partir do princípio espiritual (Kardec, Allan; O Livro dos Espíritos; FEB)

No próximo artigo desta série, O Homem Integral e a Mediunidade com Jesus - Parte II, começaremos a ver um pouco sobre a formação destes corpos a partir dos padrões de pensamento e das necessidades específicas de cada espírito para a construção de sua jornada.

C. Guilherme Fraenkel (webespiritismo@gmail.com)
Webespiritismo - www.webespiritismo.blogspot.com
Creative Commons License
O Homem Integral e a Mediunidade com Jesus by C. Guilherme Fraenkel is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escreva aqui o seu comentário